Food Hacking

m4dwolf

Food Hacking

Igor Rincon – A.k.a M4dwolf

Continuando a saga através dos aplicativos mobile brasileiros, neste artigo irei explicar como ocorreu a exploração de uma vulnerabilidade de segurança em um aplicativo muito conhecido no Brasil por criar uma estrutura de comunicação para restaurantes e clientes.

Nome do aplicativo: iFood – Delivery de Comida
Fabricante: https://www.ifood.com.br/
Versão: 5.2.8
Descrição da empresa: Desenvolvimento de plataforma para delivery de restaurantes
Resumo da vulnerabilidade: A vulnerabilidade permite que o usuário manipule os preços dos alimentos no aplicativo.

Como descobri a vulnerabilidade ?

Durante minha análise notei que a maioria da comunicação do aplicativo iFood é baseado em formato JSON como vocês irão notar durante a explicação.
Após entrar no aplicativo e fazer um cadastro com minha conta eu defini uma localização falsa em uma cidade para verificar os restaurantes que haviam nela. A primeira tela que me apareceu foi:

artigo.png
(Tela inicial do aplicativo)

Para…

View original post 445 more words

Agenda Digital

La Agenda Digital Argentina (ADA) es una herramienta creada mediante el Decreto presidencial 512/2009 que impulsa la conformación de un Gabinete Multisectorial orientado al aprovechamiento de las posibilidades que ofrece la Sociedad de la Información y el Conocimiento.

Es el plan nacional para la inclusión y apropiación por parte del gobierno, las instituciones y las personas de los beneficios de la Sociedad del Conocimiento mediante el uso intensivo y estratégico de las TIC (Tecnologías de la Información y Comunicación), siendo objetivos primordiales de la ADA aumentar el acceso como factor de desarrollo e inclusión social, favorecer la producción local de bienes y servicios TIC.

via Agenda Digital.

instituto lidas

O Instituto Lidas desenvolve tecnologias colaborativas que visam facilitar ao cidadão uma apropriação de seu território de vivência. Ao cruzar informações sobre um determinado território – mapas, estatísticas, indicadores sociais – temos um diagnóstico desta região, permitindo o planejamento de políticas públicas eficazes e outras alterações sociais.

O Instituto Lidas coleta estes dados a partir da aplicação de técnicas de geoprocessamento e os distribui universal e gratuitamente via internet.

Assim, o cidadão tem embasamento para entender sua região e assumir um papel ativo nas transformações sociais (ao invés de apenas sofrer as conseqüências destas transformações, como acontece hoje em dia, principalmente nas regiões mais pobres do país).

Tanto na coleta de dados como em oficinas práticas, o Instituto Lidas tem a juventude como foco principal, por acreditar que saber enxergar dados geográficos no cotidiano é um princípio básico da educação. Conhecer e apoderar-se de seu território é o primeiro passo para a verdadeira cidadania, o fortalecimento da democracia e o respeito aos Direitos Humanos.

via instituto lidas.

Cultura Educa

E se as pesquisas, leituras, conversas, brincadeiras e descobertas que acontecem dentro da escola se conectassem às experiências que podemos ter ao redor da escola? Na biblioteca, na rua, na praça, num sarau, na lan house, num centro cultural? Quem, em volta da escola, faz música, teatro, dança, feiras, festas, esportes, debates…? Quem cuida do meio ambiente, quem conhece a história do bairro, quem gosta de reunir pessoas para estudar um assunto ou simplesmente conversar?

Os compromissos da educação formal são insubstituíveis, mas propostas de educação não formal podem inspirar o cotidiano escolar. O portal CulturaEduca é uma ferramenta criada para facilitar o diálogo entre a escola e as instituições, iniciativas e pessoas próximas a ela. Comunidades formadas por crianças, jovens, professores, pais, agentes culturais e cidadãos são convidados a mapear seus territórios educativos de forma colaborativa. Mais que localizar iniciativas socioculturais, o processo de mapeamento fortalece elos comunitários e provoca múltiplas possibilidades de aprendizagem.

Os mapas ainda apresentam dados sobre as particularidades de cada território: demografia, atividade econômica predominante, renda, escolaridade, entre outros. Essas informações são estratégicas para embasar o planejamento de ações comunitárias e/ou de políticas públicas.

via Cultura Educa.